Como organizar a casa me ajudou com a ansiedade.

Numa fase da minha vida em que “perdi o chão”, começar a organizar a minha casa e as minhas tralhas, levou-me a uma profunda transformação de vida.

Um dos aspectos que nunca abordei publicamente, e sinto que agora é o momento, é que apesar dos desafios do divórcio, da perda, do ter que olhar para os projectos sonhados, idealizados e não vividos... um dos meus grandes desafios foi a Ansiedade.

Com 39 anos, mãe de uma menina de 2 anos, sem trabalho, sem rumo nem direcção, era deveras assustador olhar para a minha vida. Tudo me passava pela cabeça... "e se não consigo trabalho, como vou pagar as contas, o que vai ser de mim, o que vai ser de nós"... o instinto da sobrevivência a rugir em força.

E sabes que perante o vazio que se me apresentava de frente, consegui vislumbrar todas as oportunidades do mundo ali em aberto. E isso era também extremamente assustador.

O medo e a ansiedade corroíam-me. Destralhar e organizar a minha casa ajudava-me a reduzir a ansiedade.

O desconhecido acompanhava-me constantemente. Muitas noites adormeci a chorar, muitas manhãs levantava-me com uma dor no peito.

Quando comecei a organizar o meu espaço, comecei também, sem saber, a equilibrar as minhas emoções e a controlar a minha ansiedade.

Ao destralhar e organizar a casa, a minha mente ficava focada no momento presente, super concentrada na decisão e acção. Ao eliminar a confusão e as tralhas, aumentei o meu bem estar e isso ajudou também a reduzir a minha sensação de ansiedade. 

Com uma maior simplicidade na casa, consegui aproveitar melhor o meu tempo e dedicar-me a actividades que me alimentaram o coração, que me permitiram gerir melhor as minhas emoções, que me ajudaram a eliminar crenças e bloqueios, caminhando assim em direcção à minha re-organização interna.

Pouco a pouco, comecei a conseguir relaxar um pouco mais, comecei a criar espaço exterior e comecei a ganhar também espaço interior.

Com essa nesguinha de espaço, comecei a olhar e a ver... encontrei mulheres fantásticas que me foram ajudando, criei o meu caderno da gratidão, continuei a destralhar, continuei a olhar para cada coisa que possuia e permiti-me sentir, chorar, gritar.

Foi um tempo em que fiquei muito mais sozinha do que já estava. Perdi muitos amigos, conhecidos e no meio daquele deserto árido de conexão, fui fazendo as pazes comigo mesma, continuei a destralhar, continuei a limpar, continuei a atravessar ... com muita fé e esperança em encontrar a luz ao fundo do túnel.

Acabei por descobrir que a luz estava cá dentro e não fora. Continuei a caminhar, a tropeçar e a levantar-me. Ganhei pessoas maravilhosas que chegavam na altura certa e que me ajudavam a encher o meu coração.

A viagem externa potenciou uma valente incursão interna.

Re-descobri a paixão de organizar casas, criei o meu próprio negócio, comecei a partilhar e ajudar outras pessoas a transformarem os seus espaços e potenciarem transformações também nas suas vidas.

Hoje, quando a ansiedade ou o medo sopram, olho-os nos olhos, reconheço-os, aceito e transmuto.

E como a Vida é uma montanha russa, eis que chega mais um desafio à porta.

Com as escolas fechadas e trabalhando eu a partir de casa, conscientemente aceitei o convite que o pai da minha filha me fez e viemos passar umas semanas em sua casa.

E lá vem de novo a ansiedade e o medo. Respiro e acolho. Escolho olhar com as lentes da gratidão, acreditando que nos cabe a nós que caminho percorrer... o do medo ou o do amor.

E todos ganhamos! Eu ganho apoio para poder continuar a trabalhar e a dedicar-me aos meus projectos, a minha filha ganha tempo de qualidade com ambos os pais, o pai ganha mais tempo com a filha e ganha também uma Doula das Casas, que já começou a colocar as mãos na tralha!

E assim, vamos re-organizando o espaço em função das necessidades de todos, permitindo-nos fazer também a viagem interna que nos é pedida, mantendo o foco na Gratidão e na Luz.

Abro-me e partilho isto convosco para vos inspirar a acolherem todas essas emoções contractivas que chegam - o medo, a ansiedade, a tristeza - para que se permitiam descobrir o que melhor vos ajuda a geri-las e a transmutá-las, e para sentirem que a Luz está já ai dentro, à espera que a sintam, que a nutram e que a deixem brilhar!

Estamos todos ligados! Abraço profundo <3

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Organizadora Profissional

Sou a Margarida, Doula das Casas, Especialista em Organização de Espaços residenciais e empresariais. A Acredito que ao organizar fora estamos também a organizar dentro; que ao deixarmos ir o que já não serve, estamos a abrir espaço para o novo; que ao respirar e alongar, deixamos que a nossa casa e o nosso corpo se liberte do que bloqueia e que tudo passe a ser mais fluído…