Feira de Velharias, Lojas de segunda mão e brocantes

Existem diferentes caminhos para os objectos que já não usamos e muitos deles podem estar ainda em boas condições e podem e devem ser revendidos em lojas de segunda mão, feiras de velharias ou nas lojas de brocante, como são chamadas em França. 

Nestes dias em França, fico como a sensação que as visitas a estes locais são como um passatempo nacional, talvez um pouco como a petanca

Talvez a importância que os franceses dão à união do novo e do antigo e a importância que as peças vintage têm nas suas casas, recriando funções e honrando o passado, seja o motivo pelo qual, na cidade mais próxima, tenha visitado 4 locais distintos de venda de peças em segunda mão!

Se não viste o post sobre as 7 dicas para uma casa com inspiração francesa, além do uso de peças em segunda mão podes ver outras dicas para teres uma casa com mais de inspiração francesa! 

Sei que em Portugal algumas pessoas apreciam, outras nem tanto mas o certo é que quando visito estes locais sou sempre levada a fazer grandes viagens no tempo e a perder-me nas possíveis vidas dos objectos. 

Alguns destes espaços estão menos cuidados e é difícil conseguir encontrar algum objecto interessante no meio de tanto caos e confusão. Confesso que alguns sítios mexeram muito com o meu sistema nervoso e a vontade de trazer ordem era enorme! Ao mesmo tempo consigo sentir um certo fascínio ao deslocar-me pelos corredores com tantas peças…sentia-me como uma arqueóloga na busca de um tesouro perdido no meio da gigante confusão.

Das quatro lojas que visitei em San Girón, uma ficará para sempre na minha memória. Entrar na Comme Chez Mémé (Como na Casa da Avózinha) foi como entrar numa cápsula do tempo e e regressar aos tempos da Belle Époque francesa, entre cartolas, espartilhos e plumas.

Uma loja com peças diversas como roupa, louças, chapéus, rendas, malas, lençóis, toalhas, etc. de 1900 a 1920! Talvez com algumas mais antigas e outras mais recentes.

Da mesma maneira que viajo através dos tempos e dimensões nas casas, deixo-me levar pelos objectos. E por breves momentos, consigo vislumbrar daqueles tempos que já passaram mas que continuam vivos na nossa história colectiva.

E também fico a pensar… o que deixaremos nós às gerações vindouras, para que também elas possam viajar no tempo e sentirem um cheirinho do que é viver nos dias de hoje.

Partilho contigo alguns dos pequenos grandes tesouros que encontrei na minha aventura pelos Brocantes franceses de Saint-Girons, na Occitânia Francesa! 

Qual o que mais te chama a atenção e te faz viajar?!

“In-joy”!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Organizadora Profissional

Sou a Margarida, Doula das Casas, Especialista em Organização de Espaços residenciais e empresariais. A Acredito que ao organizar fora estamos também a organizar dentro; que ao deixarmos ir o que já não serve, estamos a abrir espaço para o novo; que ao respirar e alongar, deixamos que a nossa casa e o nosso corpo se liberte do que bloqueia e que tudo passe a ser mais fluído…